Siga-nos nas redes

País

Médico anti “confinamento extremista” entrega petição à Assembleia da República

Publicado

em

Manifestando-se contra o “confinamento extremista” e defendendo o uso de medicamentos, mesmo sem “evidência científica indiscutível” de eficácia, um médico português submeteu à Assembleia da República uma petição em que pede mudanças drásticas no combate à pandemia da covid-19,

O internista António Ferreira, do Centro Hospitalar e Universitário de São João, no Porto, insurge-se contra o “confinamento extremista” levado a cabo por países como Portugal, que, “para além de não servir para nada em termos da pandemia, levou a uma catástrofe económica”, numa petição com 245 subscritores e atualmente em análise pela comissão parlamentar de saúde.

(continue a ler o artigo a seguir)


Emissão em direto da Fama Rádio e Televisão também disponível na Smart tv da sua casa. Instale grátis!



“Confinar agressivamente serviu para muito pouco ou nada no que toca à evolução e à mortalidade da pandemia”, argumenta António Ferreira, professor na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, que indica que os países que tiveram confinamentos totais “apresentam, em termos gerais, um número de casos por milhão de habitantes idêntico aos que não confinaram”.

Apoiando-se num artigo científico que está em pré-publicação e que subscreveu com mais 33 investigadores, António Ferreira defende que deve ser adotado um modelo semelhante ao que aconteceu com a epidemia do VIH.

Para lidar com o vírus da imunodeficiência humana, para o qual não existe vacina, tal como o Sars-Cov2, associam-se a medidas que não têm nada a ver com medicamentos com “tratamento farmacológico iniciado ainda antes da existência de evidência científica indiscutível, baseando-se, apenas, na prova pré-clínica ou em dados de estudos limitados”.

Essa abordagem “salvou muitas vidas” e é “uma estratégia similar” que defende que se aplique à covid-19, com “o tratamento precoce domiciliar dos infetados e a quimioprofilaxia alargada”, quer agora quer quando exista uma vacina.

No artigo que ainda não foi sujeito a revisão, os autores notam que “não existe prevenção ou tratamento para doentes não internados com sintomas ligeiros a moderados, que constituem 80 por cento da população infetada e o modo principal de transmissão do SARS-Cov-2.”

Notam ainda que muitos dos estudos clínicos feitos com medicamentos como a hidroxicoloroquina ou o remdesivir se centraram em pacientes hospitalizados, mas que “as lições aprendidas em pacientes hospitalizados muito doentes não se aplicam necessariamente” às primeiras fases da infeção.

“Agentes antivirais, como o remdesivir ou o favipiravir, plasma de convalescentes e anticorpos monoclonais serão provavelmente os mais eficazes nas primeiras fases de atuação do vírus, antes da hospitalização”.

Quanto aos políticos, António Ferreira interpela-os para que “deixem de se esconder apenas atrás da visão em túnel da saúde pública, acrescentem à visão meramente sanitária uma abordagem sistémica e política, arrisquem em favor daqueles que representam”.

Ataca ainda a Organização Mundial de Saúde, que considera “responsável pela morte evitável de milhares ou dezenas de milhar de doentes de covid-19 em todo o mundo ao recomendar, contra a experiência acumulada” dos médicos que tratam infeções virais, “que não se usasse corticoesteróides no tratamento”, preferindo a aposta na “aplicação rígida e extremada de estratégias atávicas ‘medievais’ de combate às epidemias”, como “estados de emergência e outros que tais”.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Publicidade Publicidade

LER JORNAL

pub

Artigos Recentes

Desportohá 19 minutos

Veja os Golos! FC Famalicão 1-2 FC Arouca

Veja em baixo os lances de golo da partida entre o FC Famalicão e o FC Arouca a contar para...

Desportohá 1 hora

RELATO | FC Arouca x FC Famalicão

Acompanhe aqui em direto todas as emoções do jogo entre o Futebol Clube de Arouca e o Futebol Clube de...

Famalicãohá 3 horas

Famalicão: Veículo parcialmente consumido por incêndio na Avenida 25 de Abril

Um incêndio deflagrou, ao final da tarde desta sexta-feira, num veículo ligeiro que circulava na Avenida 25 de Abril, em...

Famalicãohá 4 horas

Famalicão: Sara Barros Leitão apresenta “Guião para um país possível” na Casa das Artes a 15 e 16 de março

A atriz e dramaturga Sara Barros Leitão vai levar o espetáculo “Guião para um país possível” a 15 cidades portuguesas...

Famalicãohá 4 horas

Famalicão: Chuva prevista ao longo de todo dia este sábado

Famalicão espera, este sábado, um dia de chuva que se deverá fazer sentir ao longo de todo o dia e...

Famalicãohá 4 horas

Famalicão: Câmara questionada pelo PS sobre presença de arsénio no terreno do futuro Terminal Ferroviário

A presença de arsénio nos terrenos para onde está prevista a construção do terminal rodoferroviário da Medway, em Lousado, foi...

Desportohá 5 horas

FC Famalicão apresenta nova secção de BTT

O FC Famalicão apresenta a sua nova secção de BTT, um coletivo composto por 14 atletas, abrangendo diversos escalões, desde...

Paíshá 5 horas

Membros de 64 coletivos saem à rua este sábado para se manifestarem contra o racismo e xenofobia

Um grupo de 64 coletivos está a convocar uma manifestação contra o racismo, a xenofobia e o fascismo para sábado,...

Famalicãohá 6 horas

Rotary Club de Famalicão comemora mais um aniversário e traça projetos para o futuro

O Governador do Distrito Rotário 1970, Duarte Besteiro, realizou uma visita ao Rotary Club de V. N. de Famalicão esta...

Famalicãohá 7 horas

Famalicão: A dança, pela Companhia ITZ-Intranzyt, está de volta à Casa das Artes

A dança e as emoções regressam à Casa das Artes de Famalicão com uma nova criação do coreógrafo chinês Menghan...

Arquivo

Mais Vistos