Siga-nos nas redes

Braga

Esposende vai perder 28 metros de zona costeira até 2043. Zona de Ofir é das mais vulneráveis

Publicado

em

A linha da costa na faixa Parque Litoral Norte, em Esposende, vai recuar, em média, 28 metros até 2043, sendo a zona das Torres de Ofir “das mais vulneráveis” a nível regional e nacional, revela hoje um estudo.

A projeção consta do relatório final do projeto CLICTOUR, cujos resultados são hoje apresentados, na Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, em Braga, e cuja análise das tendências de evolução climática permitiu identificar alguns impactes previsíveis, com destaque para o agravamento da ocorrência de incêndios florestais, a redução dos recursos hídricos disponíveis e o contínuo recuo da linha de costa.

(continue a ler o artigo a seguir)


Emissão em direto da Fama Rádio e Televisão também disponível na Smart tv da sua casa. Instale grátis!



O trabalho de investigação, que contou com a colaboração do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), incidiu sobre três áreas naturais protegidas – o Parque Nacional da Peneda-Gerês (PNPG), o Parque Natural do Alvão (PNA) e o Parque Natural do Litoral Norte (PNLN) – com o objetivo de apoiar o desenvolvimento de um turismo resiliente às alterações climáticas nas áreas protegidas do Norte de Portugal.

No contexto do projeto CLICTOUR, a faixa litoral do PNLN foi monitorizada em diferentes momentos temporais, tendo sido possível, com recurso a drones, a criação de mapas digitais e modelos topográficos costeiros que permitiram projetar um recuo médio da linha da costa de 28 metros até 2043.

De forma geral, entre 2006 e 2023, a linha de costa retrocedeu em toda a faixa litoral do PNLN e só entre 2010 e 2023 foram 19 metros.

De acordo com o documento, a que a Lusa teve acesso, a área mais crítica de todo o Parque PNLN corresponde à faixa litoral entre a extremidade norte da Restinga de Ofir (foz do rio Cávado) e a Praia da Bonança.

Este segmento costeiro, aponta o estudo, além de possuir taxas de erosão bastante superiores às de outras zonas do PNLN, sofre de uma enorme pressão turística, sendo a Praia de Ofir uma das mais movimentadas na região nos meses de verão.

A existência de edifícios e infraestruturas de turismo e habitação próximas à linha de costa leva a que esta zona “seja uma das mais vulneráveis à subida do nível do mar, tanto a nível regional, como a nível nacional”, tendo sido concretizados vários projetos de defesa costeira nesta zona ao longo dos últimos anos.

Os resultados demonstram ainda que a linha de costa neste troço retrocedeu, em média, 10 metros entre 2006 e 2023 (1,12 metros/ano), contudo, em alguns locais, verificou-se, desde 2006, um avanço do mar superior a 70 metros, devido às variações da extremidade norte da Restinga de Ofir.

No âmbito do Programa da Orla Costeira Caminha-Espinho (POC-CE), e devido ao avanço do mar, no concelho de Esposende, estão previstas mais de uma centena de demolições, entre habitações, anexos e restaurantes, nas áreas críticas de Cedovém, Pedrinhas e Ofir Sul.

Em maio, questionado sobre as Torres de Ofir – área crítica identificada no POC-CE como ‘áreas sujeita a estudo’ – o presidente da Câmara de Esposende, Benjamim Pereira, considerou que, neste momento, não são um problema, sublinhando que seriam necessários cerca de 50 milhões de euros só para pagar a demolição das três torres.

Pela sua localização a sotamar do esporão sul de Ofir, a Praia da Bonança é, de acordo com o estudo, outro local problemático. Neste caso, o avanço do mar foi superior a 30 metros desde 2010. A destruição dunar foi de tal forma que implicou que o campo de futebol que serve o hotel existente no local tivesse de ser relocalizado mais para norte, para evitar a sua destruição.

Ao longo de toda a linha de costa, alertam, identificam-se infraestruturas, nomeadamente habitações, “que se encontram em perigo, sendo que nalguns casos já houve destruição de edificações por ação destes processos de erosão costeira”.

Para além do impacte direto destes processos nos ambientes costeiros, os investigadores constataram que eles apresentam impactes significativos para as diversas atividades ligadas ao turismo, quer pela redução de área útil para a sua prática (redução da área dunar e de praia), quer pela alteração das condições necessárias para a sua realização.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Publicidade Publicidade

LER JORNAL

pub

Artigos Recentes

Sociedadehá 7 horas

Veja os golos! FC Porto 2 – 2 FC Famalicão

GOLO! FC FAMALICÃO, JHONDER AOS 9′, FC PORTO 0-1 FC FAMALICÃO GOLO! FC PORTO, YOUSSOUF ZAYDOU (P.B.) AOS 17′, FC...

Famalicãohá 11 horas

Famalicão: Fradelos reuniu veículos clássicos e desportivo em causa solidária

A freguesia de Fradelos, em Famalicão, foi palco este sábado da exposição “Clássicos e Desportivos” dedicada aos amantes dos veículos...

Famalicãohá 11 horas

Famalicão: Alunos da Camilo apresentaram  projeto sobre a paz no Concurso Euroscola 

Os alunos Francisco Antunes e Nuno Oliveira, do 10º ano E, da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, de Famalicão,  representaram...

Economiahá 12 horas

Preço dos combustíveis volta a descer após algumas semanas de aumento

Termina agora mais uma semana e com isso chegam novas previsões quanto à oscilação do preço dos combustíveis. Neste sentido,...

Famalicãohá 12 horas

Famalicão: Sol e “máximas” de 26.º graus esta segunda-feira

Famalicão espera, esta segunda-feira, mais um dia de sol e com temperaturas características da primavera, assim indicam as previsões do...

Economiahá 12 horas

IVA zero foi transmitido na totalidade aos preços cobrados aos consumidores diz o Banco de Portugal

A aplicação do IVA zero a alguns bens alimentares no ano passado foi transmitida na totalidade aos preços cobrados aos...

Paíshá 12 horas

Governo: Provas finais do 9.º ano voltam a ser feitas em papel

 O primeiro-ministro anunciou hoje que as provas finais do 9.º ano vão ser realizadas em papel, por terem sido “identificadas...

Paíshá 12 horas

Campanha de segurança rodoviária “Cinto-me Vivo” registou mais de 29 mil infrações numa semana

A campanha de segurança rodoviária “Cinto-me Vivo” registou numa semana 29.532 mil infrações, das quais 829 relacionadas com a utilização...

Desportohá 15 horas

Duatlo de Famalicão sai para a estrada este domingo 

O Duatlo de Famalicão, prova que junta o atletismo e o BTT, está de regresso este domingo, 14 de abril,...

Famalicãohá 16 horas

Junta de Riba d’Ave lança concurso de quadras para celebrar Abril

A Junta de Freguesia de Riba d’Ave lançou um concurso de quadras para celebrar os 50 anos do 25 de...

Arquivo

Mais Vistos