Siga-nos nas redes

Economia

Restaurantes e hotelaria obrigados a aumentar preços ou despedir trabalhadores face ao aumento dos custos

Publicado

em

O sector da hotelaria e restauração, que registou aumentos de custos de matérias-primas até 50% nas últimas semanas, prevê que os últimos três meses do ano serão “preocupantes”, de acordo com uma declaração da associação de hotelaria, restauração e catering de Portugal AHRESP.

A AHRESP relatou os resultados do seu mais recente inquérito, “realizado durante a segunda quinzena de Setembro e primeira quinzena de Outubro, tanto para restaurantes e empresas similares, como para alojamento turístico”, que concluiu que “as consequências da inflação são cada vez mais preocupantes para a sustentabilidade das empresas”.

(continue a ler o artigo a seguir)


Emissão em direto da Fama Rádio e Televisão também disponível na Smart tv da sua casa. Instale grátis!



Assim, segundo a AHRESP, “para 71% dos restaurantes e 83% das empresas de alojamento, os custos das matérias-primas aumentaram até 50%”, e “a escassez de produtos essenciais também já se faz sentir”, revelou “73% dos restaurantes e 26% das empresas de alojamento”.

A associação afirmou ainda que “face a este aumento dos custos, a actualização dos preços era inevitável, com 83% das empresas de restauração e 69% das empresas de alojamento a aumentarem os seus preços”, observando que “na restauração (51%) e no alojamento (45%), o aumento não ultrapassou os 10%”.

Segundo a associação, “já se fez sentir uma diminuição da procura”, com 54% dos restaurantes e 49% das empresas de alojamento a assistir a uma “diminuição do volume de negócios de até 20% no mês de Setembro”.

A associação recordou que “para mitigar os efeitos negativos deste ciclo inflacionário, que poderia agravar-se, a AHRESP tem vindo a propor medidas temporárias, tais como a introdução de taxas reduzidas de IVA sobre alimentos e bebidas e sobre tarifas de energia, gás e electricidade”, salientando que “os resultados do inquérito confirmam a importância destas medidas na medida em que, para os restaurantes (89%) a medida do IVA (sobre alimentos e bebidas) é uma prioridade, enquanto que para o alojamento (81%) a redução do IVA sobre a energia é vital”.

De acordo com a associação, “a ausência de medidas preventivas levará a um novo aumento dos preços, ao despedimento de trabalhadores e ao encerramento de empresas”.

AHRESP afirmou que “no sector da restauração, 68% estão a considerar aumentar os preços, 37% irão despedir trabalhadores e 13% irão encerrar as suas empresas” e que, “no caso do alojamento turístico, 63% das empresas também afirmaram que terão de aumentar os preços, 15% irão avançar com os despedimentos e 8% estão a considerar encerrar”.

“As perspectivas para o último trimestre do ano em curso são muito preocupantes”, disse a associação, com 45% dos restaurantes e 31% das empresas de alojamento considerando que “este último trimestre será pior ou muito pior do que o quarto trimestre de 2019”.

A AHRESP advertiu também que “para além do contexto inflacionário, o aumento das taxas de juro irá certamente causar também um grande impacto no rendimento disponível das famílias, levando inevitavelmente a uma redução do poder de compra.

O inquérito teve lugar entre 22 de Setembro e 10 de Outubro, “obtendo um total de 473 respostas dos sectores da restauração e similares, e alojamento turístico, em todo o país”, de acordo com a AHRESP.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Publicidade Publicidade

LER JORNAL

pub

Artigos Recentes

Desportohá 5 minutos

Atletas da EARO somaram troféus no Campeonato Regional de Corta-Mato Curto de Vizela.

A Escola de Atletismo Rosa Oliveira participou no sábado, dia 2 de março, no Campeonato Regional de Corta-Mato Curto em...

Paíshá 28 minutos

A neve “pintou” as paisagens de Melgaço

Não caiu com tanta intensidade como no fim de semana passado, mas voltou a pintar as paisagens de Lamas de...

Paíshá 60 minutos

Eleições Legislativa: Mais de 200 mil portugueses votam hoje em mobilidade

São menos do que nas legislativas de 2022 (315.785 inscritos), mas muito superior aos inscritos nas legislativas de 2019 (56.291)....

Sociedadehá 2 horas

Já estão escolhidos os finalistas do Festival da Canção 2024 e entre eles está uma famalicense

A famalicense, Cristina Clara, apurou-se no sábado, para a final do Festival da Canção, em Lisboa. A segunda semifinal do...

Economiahá 2 horas

Em Portugal o mercado automóvel está em crescimento

No período entre janeiro e fevereiro, o mercado automóvel em Portugal apresentou um crescimento significativo de 17,5% em comparação com...

Paíshá 2 horas

GNR regista aumento de burlas informáticas e fraude bancária

No ano passado, a GNR registou um total de 21.548 casos de burlas, representando um aumento em relação a 2022,...

Famalicãohá 21 horas

Famalicão: Refood dá a conhecer trabalho desenvolvido no combate ao desperdício alimentar

O núcleo de Famalicão da  Refood, associação que combate o desperdício alimentar e ao mesmo tempo alimenta as pessoas mais...

Famalicãohá 22 horas

Famalicão: Exposição de fotografia mostra aves de Ribeirão 

É inaugurada este domingo, dia 3 de março, nas Piscinas de Ribeirão, Famalicão,  a exposição de fotografia “Ao encontro das...

Famalicãohá 22 horas

Famalicão: incêndio provoca danos materiais num armazém em Joane

Um incêndio provocou, na manhã deste sábado, danos materiais num armazém na vila de Joane, mais concretamente na Avenida Sr....

Paíshá 22 horas

Comboios: foi desconvocada a greve da Infraestruturas de Portugal

A greve dos trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP) prevista para as próximas terça e quinta-feira foi desconvocada. “A Infraestruturas...

Arquivo

Mais Vistos