Siga-nos nas redes

País

Apoios extraordinários para a cultura já podem ser requisitados a partir desta quinta-feira

Publicado

em

Fonte do ministério da Cultura disse hoje que o formulário para requisição do apoio social extraordinário para os profissionais da Cultura, no valor único de 438,81 euros, estará disponível ‘online’ a partir de quinta-feira.

O apoio extraordinário aos artistas, autores, técnicos e outros profissionais da Cultura, no valor único de 438,81 euros, referente a um Indexante dos Apoios Sociais (IAS), destina-se a trabalhadores independentes, que tenham um código de atividade económica (CAE) ou de IRS (CIRS) no setor.

(continue a ler o artigo a seguir)


Emissão em direto da Fama Rádio e Televisão também disponível na Smart tv da sua casa. Instale grátis!



Este apoio insere-se nas medidas de resposta à crise provocada pelas restrições decretadas no âmbito da pandemia da covid-19, anunciadas em 14 de janeiro, pela ministra da Cultura, Graça Fonseca.

De acordo com a regulamentação destas medidas, publicada na segunda-feira em Diário da República, o apoio social extraordinário será atribuído “por ordem de apresentação dos pedidos, através de uma única prestação a cada requerente elegível”.

O pedido deve ser feito “por via eletrónica, mediante o preenchimento e submissão ‘online’ do respetivo formulário, através do sítio na Internet www.culturaportugal.gov.pt”.

No dia em que o formulário estará disponível, os deputados da Assembleia da República discutem quatro projetos-lei, da autoria do Bloco de Esquerda (BE), do Pessoas-Animais-Natureza (PAN), do PCP e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues, para o reforço ou a criação de novas medidas de apoio ao setor da Cultura.

Entre outros, o BE defende o “alargamento de atividades elegíveis para apoio social extraordinário da cultura”, propondo que “o valor mínimo do apoio corresponda a 1,5 IAS [Indexante dos Apoios Sociais]”.

Já o PCP quer ver o apoio extraordinário no valor de 1IAS a ser alargado a “trabalhadores inscritos com atividade principal ‘1519 – Outros prestadores de serviços’, desde que a prestação de serviço incida em atividades de natureza cultural”.

Além disso, o partido comunista também defende que o valor a atribuir passe a corresponder a 1,5 IAS e que tenha “periodicidade mensal enquanto se mantiverem em vigor as medidas excecionais e temporárias de resposta à epidemia”.

Desde que este apoio social foi anunciado, em 14 de janeiro, estruturas representativas dos trabalhadores consideraram que o valor é insuficiente e corre o risco de, mais uma vez, não chegar a todos os trabalhadores.

Na segunda-feira, a associação Plateia – Profissionais de Artes Cénicas mostrou-se “particularmente descontente com o que é apresentado relativamente ao apoio de 1IAS (438 euros) aos trabalhadores da cultura”.

Para a Plateia, “é inaceitável que se excluam deste apoio todas as pessoas que, à data de 01/01/2020, tinham um contrato de trabalho (ainda que de curta duração ou ‘part-time’)”.

“Uma vez mais o Governo demonstra não compreender como é o trabalho neste setor, onde se transita ou acumula trabalho com contrato ou através de recibo verde. Muitas vezes os contratos de curta duração não dão lugar a subsídio de desemprego, pelo que estas pessoas não têm acesso à proteção social, tal como quem apenas trabalha através do recibo verde”, alertou.

A juntar a isso, “uma vez mais, o governo não soube dar resposta aos trabalhadores da cultura que não estão inscritos com os CAE agora indicados – como é o caso de quem tem um CAE de ‘outros serviços’ – excluindo novamente estas pessoas”.

Aquela associação defendeu também que “é urgente que o governo esclareça se os membros dos órgãos estatutários serão também excluídos do apoio, o que seria trágico”.

Para a Plateia é “incompreensível que depois de ter sido anunciado que este apoio era acumulável com todos os outros [apoios sociais], se saiba agora que apenas será acumulável com o Apoio Extraordinário à Redução de Atividade”.

O atraso com que as medidas são concretizadas foi, mais uma vez, criticado pela Plateia, para quem “é lamentável que este apoio (bem como os restantes apoios sociais) apenas vá chegar aos bolsos de quem dele precisa em março, na melhor das hipóteses”. Havendo “muita gente sem rendimentos desde janeiro, ou até antes, esta demora é intolerável”.

A Plateia recorda que quando a ministra da Cultura anunciou este apoio social, em 14 de janeiro, “ainda não se previa a paragem do setor nos meses de fevereiro e março, como agora se verifica”.

“Tendo em conta a extensão do confinamento, não compreendemos porque é que não há, desde já, um compromisso para a repetição deste apoio, com referência aos meses de fevereiro e de março”, refere a associação.

PARTILHE ESTE ARTIGO:
Publicidade Publicidade

LER JORNAL

pub

Artigos Recentes

Sociedadehá 7 horas

Veja os golos! FC Porto 2 – 2 FC Famalicão

GOLO! FC FAMALICÃO, JHONDER AOS 9′, FC PORTO 0-1 FC FAMALICÃO GOLO! FC PORTO, YOUSSOUF ZAYDOU (P.B.) AOS 17′, FC...

Famalicãohá 11 horas

Famalicão: Fradelos reuniu veículos clássicos e desportivo em causa solidária

A freguesia de Fradelos, em Famalicão, foi palco este sábado da exposição “Clássicos e Desportivos” dedicada aos amantes dos veículos...

Famalicãohá 11 horas

Famalicão: Alunos da Camilo apresentaram  projeto sobre a paz no Concurso Euroscola 

Os alunos Francisco Antunes e Nuno Oliveira, do 10º ano E, da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, de Famalicão,  representaram...

Economiahá 12 horas

Preço dos combustíveis volta a descer após algumas semanas de aumento

Termina agora mais uma semana e com isso chegam novas previsões quanto à oscilação do preço dos combustíveis. Neste sentido,...

Famalicãohá 12 horas

Famalicão: Sol e “máximas” de 26.º graus esta segunda-feira

Famalicão espera, esta segunda-feira, mais um dia de sol e com temperaturas características da primavera, assim indicam as previsões do...

Economiahá 12 horas

IVA zero foi transmitido na totalidade aos preços cobrados aos consumidores diz o Banco de Portugal

A aplicação do IVA zero a alguns bens alimentares no ano passado foi transmitida na totalidade aos preços cobrados aos...

Paíshá 12 horas

Governo: Provas finais do 9.º ano voltam a ser feitas em papel

 O primeiro-ministro anunciou hoje que as provas finais do 9.º ano vão ser realizadas em papel, por terem sido “identificadas...

Paíshá 12 horas

Campanha de segurança rodoviária “Cinto-me Vivo” registou mais de 29 mil infrações numa semana

A campanha de segurança rodoviária “Cinto-me Vivo” registou numa semana 29.532 mil infrações, das quais 829 relacionadas com a utilização...

Desportohá 15 horas

Duatlo de Famalicão sai para a estrada este domingo 

O Duatlo de Famalicão, prova que junta o atletismo e o BTT, está de regresso este domingo, 14 de abril,...

Famalicãohá 16 horas

Junta de Riba d’Ave lança concurso de quadras para celebrar Abril

A Junta de Freguesia de Riba d’Ave lançou um concurso de quadras para celebrar os 50 anos do 25 de...

Arquivo

Mais Vistos